domingo, 20 de dezembro de 2009

"Porque pulsa do amor a dura prova..."

Para Elis

Porque pulsa do amor a dura prova
vai pungir no poema a pena firme.
pra seguir com o rio que renova
e de novo, entre as águas, o afirme!

Se livres somos nós e eu quero tudo
quanto pode um ser errante... mas
se escrevo um verso esparso e mudo
é só para entregar-te pleno. Mas

se rompe em chuva fria o desconcerto
de Camões e de toda humanidade,
sem saudades da vida venho certo

da letra desenhando eternidade
no céu rubro, do Verbo concertado.
Tê-la, então, no presente, do meu lado.

3 comentários:

josé agapanto disse...

numa noite que de Santa, puderam pressentir algo como caravelas (sobre a guanabara?)!

Raquel disse...

Nossa...perfeito...

josé agapanto disse...

Por onde andam seus poemas, oh pedro de la barca?